segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Carta Aberta 2017


Ao Prefeito Regional do Butantã, Sr. Paulo Vitor Sapienza
Ao Conselho Participativo Municipal do Butantã
Ao CADES-Bt
Às Lideranças Partidárias da Câmara Municipal de São Paulo

São Paulo, 19 de janeiro de 2017
Prezados(as)  Senhores(as):
A Rede Butantã se formou em 1999 com o propósito de reunir organismos da sociedade civil para otimizar e integrar os serviços prestados, viabilizando projetos conjuntos que respondam às demandas sociais da região do Butantã, buscando a melhoria de vida dos seus moradores. Nestas quase duas décadas de atuação, a Rede Butantã, de forma democrática, em encontros presenciais e debates virtuais, construiu uma agenda de reivindicações e propostas, sempre na perspectiva do direito à cidade, fundado na gestão participativa, na construção de bairros sustentáveis, com justiça ambiental, direito à cultura, educação, saúde e lazer. Essa Agenda que ora apresentamos também está alinhada aos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável-ODS da Agenda 2030 da ONU, que considera as dimensões social, ambiental e econômica de forma integrada e indivisível.
A região do Butantã conta com uma população de cerca de 450 mil habitantes, distribuída por cinco distritos: Butantã, Rio Pequeno, Vila Sonia, Raposo Tavares e Morumbi. Com características diversas, é possível afirmar que esta região apresenta uma visão condensada do conjunto dos problemas da cidade: desigualdades, potencialidades e dificuldades. A mesma região onde se encontram casas de alto padrão abriga mais de 80 favelas, retrato de um quadro gritante de injustiça, vulnerabilidade e exclusão social, no qual observamos questões agudas como o baixo nível de escolaridade e renda, agravadas pela carência de serviços públicos de qualidade.
A Rede Butantã, um dos inúmeros fóruns em funcionamento no Butantã e talvez o mais antigo, realiza reuniões na primeira quarta-feira de cada mês, de forma itinerante, oferecendo uma oportunidade de participação e conhecimento dos vários distritos e bairros de nossa região. Visando facilitar e intensificar a comunicação, a Rede Butantã tem também um grupo de discussão virtual do qual participam mais de 400 pessoas que trocam informações e opiniões através do endereço rede-butanta@googlegroups.com, assim como espaços democráticos de participação no Facebook.
A Rede Butantã reconhece a importância e apoia os conselhos da sociedade civil constituídos, sendo valiosos instrumentos para o cumprimento do Estatuto das Cidades e consolidação da democracia participativa. 
Graças a este grande acúmulo de reflexões, a Rede Butantã apresenta abaixo as questões consideradas mais urgentes e relevantes à região.
MEIO AMBIENTE
Ainda existem no Butantã, áreas com remanescentes de Mata Atlântica, vegetação do cerrado, nascentes e cursos d'água, valioso patrimônio que, além de conter espécies em extinção, contribui para as condições climáticas e qualidade de vida na Cidade. É importante observar que 30% do território é classificado,  no Plano Diretor Estratégico, como Macrozona de Proteção e Recuperação Ambiental, cuja diretriz primordial é a manutenção e recuperação do meio ambiente, tema que deve estar sempre presente nas políticas públicas de habitação, saúde, cultura e educação. 
  • Implantação efetiva do Plano de Resíduos Sólidos;
  • Implantação efetiva do Programa de Recuperação de Fundos de Vale e implantação de Parques Lineares, entre os quais Linear Água Podre; Nascentes do Jaguaré, Itaim, Itararé, Caxingui, Corveta Camucã, Jd. Sarah, Jacarezinho, Passagem Grande, Charque Grande;
  • Implantação dos Parques Urbanos previstos em legislação, entre os quais Chácara da Fonte e Mata do IPESP;
  • Continuidade na execução do Parque Juliana de Carvalho Torres;
·         Continuidade do processo de implantação e manejo do Parque Chácara do Jóquei. Garantindo e ampliando o processo de diálogo e participação da comunidade na gestão do parque;
·         Esclarecimento e discussão com a comunidade sobre o processo de concessão do Parque Chácara do Jóquei;
  • Retomada do Programa Córrego Limpo na região, parceria entre SABESP e a Prefeitura;
  • Implantação de Praça na área da Carlos Farias, recém reintegrada pela Subprefeitura (Distrito Raposo Tavares);
  • Articulação para a incorporação da área de ZEPAM do Carrefour ao Parque Previdência;
  • Solução para as enchentes do Córrego Jaguaré através de um plano de drenagem que contemple a ampliação das áreas verdes e permeáveis, implantação de parques lineares nas sub-bacias com retenção de água das chuvas e outras propostas sustentáveis. Somos contrários à construção de piscinão como estratégia para a solução das enchentes;
  • Estruturação das cooperativas com pessoal e equipamentos para a implantação da universalização da coleta seletiva porta a porta;
  • Prestação de informação qualificada por parte do poder público para viabilizar o monitoramento da implantação do empreendimento Reserva Raposo, no distrito Raposo Tavares, que deverá gerar significativo impacto ambiental com a construção de 18 mil unidades habitacionais nos próximos anos.
SAÚDE
·         Fortalecimento das ações de vigilância em saúde e saúde da família, como atividades de prevenção à doença;
·         Implantação de novos equipamentos, especialmente de atenção básica (Unidade Básica de Saúde - UBS) e de Atendimento Psico-social (CAPS). O Butantã ainda figura como a região com menor cobertura de CAPS da cidade de São Paulo, mesmo com a bem-vinda instalação em 2016 do nosso primeiro CAPS-Infantil. É fundamental a construção e colocação em funcionamento do CAPS Álcool e Drogas, previsto para a região da Raposo Tavares;
  • Qualificação da UBS Rio Pequeno que permanece em instalações precárias (casa alugada e de pequeno porte);
  • Ampliação do serviço nas unidades com baixa capacidade de cobertura para territórios densamente povoados, implantando UBS Integral nestas áreas (Caxingui, Real Parque, Malta Cardoso no Rio Pequeno). A UBS Integral do Real Parque foi aprovada na primeira gestão do Conselho Participativo Municipal como prioridade e até agora não foi concretizada;
  • Implantação de equipamento (UBS) que atenda a população da COHAB Raposo Tavares/Munk, reivindicação histórica na região;
  • Ampliação do Hospital Municipal Mário Degni, que se tornou hospital
    geral regional ressaltando a necessidade de ampliação de leitos e o atendimento do
    parto humanizado (esclarecemos que o sucateamento do Hospital
    Universitário-HU tem agravado a situação de atendimento na região
    tornando essa demanda mais urgente);
  • Implantação de serviços de atendimento ao idoso;
  • Necessidade de implantação de políticas de cuidados que não dependem de instalação de novos equipamentos, como o Programa de Atenção ao Idoso, EMAD (atenção domiciliar para acamados), Programa de Atenção à Pessoa com Deficiência e ESF.
HABITAÇÃO
A Rede Butantã tem acompanhado com preocupação tanto processos de ocupação de áreas por famílias extremamente necessitadas e pouco orientadas como, na sequência, os processos de reintegração de posse destas áreas. Existe um número grande de ocupações irregulares na região e uma forte demanda por moradia. Em que pesem todas as irregularidades existentes nestas ocupações e a necessidade de prevenir a ocorrência de acidentes em áreas de risco, é fundamental que anteriormente a movimentação para reintegração de posse, o Estado se preocupe em investir seriamente na solução de problemas habitacionais, garantindo amparo e o direito à moradia digna e segura a estas famílias. É fundamental evitar que este ciclo perverso de ocupação e expulsão tenha continuidade e, para isto, indicamos as seguintes necessidades:
·           Destinação de recursos para estudo de áreas apropriadas e possíveis para construção de moradia popular;
·           Construção de novas moradias, observando não só a quantidade de construções mas também sua qualidade uma vez que em construções bastante novas, como as do Real Parque, já são observados problemas;
·           Criação de condições para trabalho alinhado entre Habitação e Assistência Social, para que as famílias sejam atendidas com qualidade e correção tanto no processo de cadastramento, como no de distribuição de vagas e também nos casos extremos em que seja inevitável a retirada de pessoas dos locais que estão ocupando;
·           Atuação conjugada e transparente das Secretarias envolvidas, das equipes da Prefeitura Regional e acompanhamento pelo Conselho Participativo Municipal do Butantã e representantes dos Movimentos de Moradia;
·                       Garantia de verbas para a conclusão de projetos já iniciados como o da Viela da Paz e Sapé;
·                       Regularização fundiária do Jardim Maria Amélia e de outras áreas do Butantã que ainda aguardam este procedimento; 
·                       Respeito as listas de espera de famílias já cadastradas para moradia na região, atendendo reivindicação dos movimentos de moradia que atuam seriamente na região.
EDUCAÇÃO
·           Ampliação do número de Centros de Educação Infantil (CEIs), preferencialmente com administração direta, atendendo prioritariamente demanda das  comunidades São Remo, Viela da Paz e Camarazal, já reconhecida e identificada;
·           Conclusão e colocação em funcionamento da CEI no Rio Pequeno, eleita como prioridade pela primeira gestão do CPM-Bt;
·           Construção  de uma CEI no Real Parque (já aprovada pela SME/processo 2013.0.036.358-0), onde atualmente está o canteiro de obras da urbanização, início de construção imediata para evitar ocupação irregular e atender demanda por vagas;
·           Garantir e ampliar o processo de gestão democrática das unidades municipais de educação, através dos conselhos de escola e grêmios estudantis.
ASSISTÊNCIA SOCIAL
·           Ampliação dos serviços da proteção básica;
·           Ampliação do número de Centros para criança e adolescentes (CCA) e Centros de Juventude nos distrito Raposo Tavares e Rio Pequeno especialmente;
·           Instalação de dois CRAS – Rio Pequeno e Raposo Tavares;
·           Ampliação do Serviço de Assistência Social às famílias (SASF) no Rio Pequeno e Raposo Tavares;
TERCEIRA IDADE
  • Implantação, em cada distrito do Butantã, de Núcleos de Convivência do Idoso (NCI) com 100 vagas cada, atendendo à Política Pública da Assistência Social;
·           Ampliação do atendimento preferencial e específico em todas as áreas da população idosa;
·           Construção e destinação de recursos para Unidades de Referência a Saúde do Idoso (URSI) já prevista em terreno na Rodovia Raposo Tavares;
·           Construção de Centros de Lazer que atendam não apenas a esse grupo etário, mas especialmente a ele.
INFÂNCIA
  • Fortalecimento e ampliação do trabalho das redes de proteção e a estruturação do orçamento criança, em que cada pasta deve discriminar o quanto de recurso público é destinado à infância em cada setor.
·           Fortalecimento da estrutura de funcionamento dos Conselhos Tutelares.
·           Reconhecimento do Fórum em Defesa dos Direitos de Crianças e Adolescentes do Butantã (FoCA-Bt) que atua na região desde 2000, como interlocutor na área. O FoCA-Bt promove desde sua criação a Semana do Estatuto da Criança e do Adolescente no Butantã (Semana do ECA) e organiza bienalmente as Conferências DCA Regionais.
CULTURA
·           Contratação de equipe básica que dê condições para abertura de programação na Casa do Sertanista, Casa do Bandeirante e Pólo de Economia Criativa do Parque Chácara do Jóquei;
·           Desenvolvimento de projeto com destinação de recursos para Terreno de Cultura da Cohab Raposo Tavares e criação de Centro de Memória da Cohab Raposo Tavares.
·           Criação de Centro de Memória do Butantã no Parque Chácara do Jóquei;
·           Garantia de recursos para funcionamento da Casa de Cultura do Butantã e integração de sua programação a um calendário cultural da região;
·           Atenção na preservação, divulgação e conservação do potencial cultural, histórico e artístico do Morro do Querosene (Caminho do Peabirú; Festa do Boi; Orquestra de Berimbaus);
·            Incentivo as atividades culturais em ruas e praças com apoio operacional. Temos acompanhado o importante movimento de ações como, por exemplo, as feiras na Praça Elis Regina, os festivais e feiras na COHAB Raposo Tavares, as feiras, festivais e festas no Morro do Querosene, os festivais no Rio Pequeno, os blocos de carnaval, atividades que possibilitam o encontro, confraternização e ações comunitárias que agregam saldo positivo na difusão da nossa cultura;
·           Criação da Agenda Cultural do Butantã, contemplando todos os seus Distritos, reconhecendo suas práticas, integrando a programação cultural de equipamentos, estabelecimentos e manifestações de rua, iniciando o processo de detecção dos Territórios Culturais do Butantã;
·         Desburocratização do uso de ruas, praças e parques para atividades culturais;
·         Integração da rede de educação com equipamentos e agenda cultural, com a promoção da Escola Além dos Muros, com visitas às Casas de Memória, Casa de Cultura, eventos populares e outros equipamentos como CEUs;
·         Fomentos/Editais que contemplem também as práticas de rua, não prioritariamente equipamentos, tendo ação de facilitadores das expressões culturais e artísticas como elo entre comunidade e equipamentos;
·         Programas como Agente Comunitário de Cultura que tem ação territorial, sejam articulados com a Supervisão de Cultura, para fortalecimento das ações territoriais e desenvolvimento local;
·         Promoção da descentralização de recursos culturais, com a destinação de verba da Supervisão de Cultura para práticas culturais e artísticas periféricas, não atendidas por editais ou outros programas de fomento;
·         Criação de agenda de carnaval de Rua local, com agenda integrada, priorizando os blocos e cordões locais e não terceirizados, além da regulamentação dos mesmos, promoção de uma programação pra além do carnaval;
·         Contratação de artista local na programação da agenda de eventos da região, quando houver contratação de convidados que haja esforço para a presença de artistas da região nas apresentações tendo nas políticas públicas culturais um vetor para o desenvolvimento sustentável;;
·         Reconhecimento do Fórum de Cultura do Butantã, com participação de representantes de equipamentos e governo local em suas reuniões mensais.
MOBILIDADE
A mobilidade é tema fundamental para garantir o direito à cidade de maneira democrática. Por ser tema transversal, viabiliza não somente a circulação de bens e mercadorias, mas assegura o acesso dos cidadãos ao trabalho, comércio, equipamentos de saúde, educação, pontos de lazer, praças, parques públicos etc... Em São Paulo é preciso reverter seu papel segregador, bem como seu histórico papel de responsável por parte significativa da poluição e das mortes.
  • Ação efetiva para solucionar o gargalo de trânsito para ônibus, pedestres, bicicletas, automóveis etc. que acontece junto à estação Butantã do metrô, demandando uma articulação com Metrô, SPTrans, Secretaria de Negócios Metropolitanos, EMTU, Secretaria de Transportes e moradores da região;
  • Implantação de faixa exclusiva de ônibus na Rodovia Raposo Tavares (que no futuro poderá ser convertida em corredor). A CET já realizou estudos que indicam a viabilidade desta faixa do Rodoanel até a Av. Prof. Francisco Morato;
  • Observância da Lei da Mobilidade Urbana, que no território se expressa na priorização de  calçadas largas e planas, adequadas para os diferentes perfis de pedestres; criação de passagens ou caminhos que abreviem os trajetos de pedestres; rede cicloviária extensa, de qualidade e articulada com outros modos; frota ecológica de ônibus com carrocerias adequadas para transporte de pessoas com suas diferentes necessidades; linhas circulares e transversais dentro do bairro, conectando a população a pontos importantes, como postos de saúde e escolas; localização adequada dos pontos de ônibus para facilitar o deslocamento dos usuários e priorizar o pedestre; manutenção do limite de velocidade nas marginais e grandes avenidas, minimizando o número de acidentes e mortes no trânsito;
  • Em relação ao novo edital de licitação dos ônibus previsto para o município de São Paulo reivindica-se que: 1) a duração dos contratos seja diminuída de 20+20 anos para 10+5 anos no máximo, de forma a garantir a amortização dos investimentos e a respeitar as cada vez mais aceleradas mudanças na cidade e nas tecnologias; 2) a remuneração das empresas seja por custo operacional e qualidade, avaliada na perspectiva dos usuários, influenciando a remuneração dos prestadores de serviço; 3) o desenho do novo sistema a ser implantado seja previamente discutido junto à população em plenárias e audiências públicas amplamente divulgadas pelas subprefeituras.
  • Observação: O Grupo de Trabalho Mobilidade (GT-Mobilidade) da Rede Butantã, construiu documento bastante detalhado sobre questões gerais da cidade e especificas do Butantã que está disponível para consulta no Blog da Rede Butantã (redebutanta.blogspot.com). Este mesmo grupo também facilitou oficinas em bairros da região para discutir e construir com os moradores melhores trajetos e linhas de ônibus. Consideramos importante que este trabalho seja reconhecido, aproveitado e valorizado.
TRABALHO, EMPREENDEDORISMO, ECONOMIA SOLIDÁRIA
·         Consolidação do Ponto de Economia Solidária, Comércio Justo, Cooperativismo Social e Cultura através das  ações descritas no Termo de Cooperação entre SDTE e SMS;
·         Fortalecimento do CRESAN;
·         Continuidade das ações desenvolvidas através da ADESAMPA para fortalecimento do empreendedorismo e desenvolvimento local;
·         Implantação das Feiras de Artesanato nas praças Oliveira Penteado, José Maria Homem dos Montes, Elis Regina e Santo Coimbra.


quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Reunião de dezembro

No dia 7 de dezembro, quarta-feira, Das 9h00 às 12h00, reunião da Rede Butantã de Entidades e Forças Sociais, no Auditório do Parque Previdência (Rua Pedro Picinini, 88 - Jd. Previdência). Como sempre, em seus 16 anos de existência, a Rede Butantã faz na última reunião do ano um balanço da sua atuação neste ano e um planejamento para o ano seguinte. É a construção da agenda política desta rede que tem acompanhado e participado de conquistas e dificuldades da população desta região. As reuniões da Rede Butantã são abertas a todos os interessados que compartilhem das preocupações e princípios estabelecidos ao longo destes anos, em que a RB tem se pautado especialmente pela defesa dos Direitos Humanos, Sociais e Políticos.

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Reunião de novembro

Dia 9 de novembro, quarta-feira, das 9h00 às 12h00, no Ponto de Cultura e Economia Solidária (Av. Corifeu de Azevedo Marques, 250), reunião mensal da Rede Butantã de Entidades e Forças Sociais. Nesta reunião além das rodadas de apresentação - da entidade anfitriã e dos participantes - e informes, serão discutidos o documento a ser entregue ao prefeito eleito e aos vereadores com as reivindicações da Rede Butantã para a região e também a organização da Agenda 2017, com o levantamento de temas de relevância, locais para as reuniões, horários, participação em outros fóruns.

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Reunião de Julho

A reunião de julho da Rede Butantã será na próxima quarta-feira, dia 6 de julho, das 9h00 às 12h00, no CCA Gracinha (Rua Osíris Magalhães de Almeida, 144 - Vl. Sônia 3742-4520). Na pauta a organização dos trabalhos da Rede Butantã: Informes sobre reuniões e andamento de Movimentos, projetos, conselhos; avaliação e retorno da Plenária do distrito Raposo Tavares e organização da próxima, do distrito Vila Sonia; avaliação da possibilidade e interesse em promover debate de candidatos à vereador(a) atuantes na região; andamento da redação da Carta aos Candidatos; Organização da reunião de setembro. A reunião é aberta a todos os interessados. Participe! Venha conversar em Rede. Saiba mais sobre a Rede Butantã acessando o seu blog, a sua página no Facebook ou o grupo no Facebook.

terça-feira, 26 de abril de 2016


INAUGURAÇÃO DO PARQUE CHÁCARA DO JÓQUEI

PROGRAMAÇÃO

SÁBADO, DIA 30 DE ABRIL

8h Cortejo Afoxé Morro Querosene e Romaria Nossa sra de Fátima
(trajeto: parte do P3 Lago, segue a direita sentido pergolado, passa pelo coreto e redondo, área de piquenique sentido caixa dágua, quadra/skate, desce pelo campo, encerrando na Praça da Balança) 
9h Café da Manhã SOLIDÁRIO na Praça da Cultura traga sua fatia e celebre com a gente!

15h Maracatu Gracinha 
(trajeto: começa na praça da cultura, segue pelo campo sentido P1-Pequeninos, desce pelo redondo e coreto, convida a todos para a área de piquenique onde encerra)
16h Café da Tarde SOLIDÁRIO na área de piquenique traga sua fatia e celebre com a gente!


SP Graffiti PAREDÃO 
Av. Monsenhor Manfredo Leite, 5444 - Ferreira
605m² e 80 grafiteiros;
Das 8h às 18h sexta, sábado e domingo


Pergolado e Galpão 
Avenida Pirajussara, 4301
(Atividades para crianças de todas as idades)
8h as 12h - Caravana Lúdica - Jogos do Mundo
8h às 11h - Batukaí oficina de percussão
9h às 11h - Trupe Origens-Redescobrindo Nossa História
                 Oficina de Abayomi com Vanessa Ribeiro
14h às 16h - Coletivo Dente de Leão revelando o caminho para o Quilombo dos Palmares
8h às 12h - Coletivo Paulista de Circos Pequenos-COPAC atividades por todo o parque

Área de piquenique/gramado:
8 às 18h – atividades livres: yoga, tai chi chuan, lian gong
8h as 12h Oficina de Xadrez com Josef dos Santos


Redondo e Coreto:
9h – Clóvis Ribeiro Band: A banda de um homem só!
11h - Oficina de Breaking
13h - Oficina de Tango
14h - Oficina de Dança Afro
15h - Orquestra de Berimbaus do Morro do Querosene
16h - Coral da Terceira Idade 
17h - Tanto Mar, espetáculo baseado nas canções de Dorival Caymmi, com participação do Coral Passarim


Espaço de Convivência-Churrasqueira:
Av. Francisco Morato, 5098
Exposição sobre o Butantã no Espaço da Comunidade com o Movimento Parque Chácara do Jóquei


Pista Skate e Quadra:
Av. Francisco Morato, 5098

9h às 12h - Há!PHirma no 3x3: uma ação que une o basquete de rua comentado pelo “Loucutor” McJay Doctor Mu e Japa com discotecagem do Dj OG que trará como convidada DJ Niely

14h às 16h - Rap com D’Fato Rappers, Classe A Dominado, Edsão Mozum, Ideologia Fatal, Irmandade Zona Oeste, Rota de Colisão e Toco Gueto Prime e futebol de rua 

16h às 18h - Reggae na pista de skate com Jah Reggou Suas Plantas?



Praça da Cultura, das 8h às 20h
Rua Santa Crescência, 323 

Feira de Arte e Artesanato – com mais de 70 expositores, terá exposições e instalações artísticas;

“O Autor no Parque” é uma versão de O Autor na Praça, no Espaço Plínio Marcos, fundado em 1999 por Edson Lima e é executado desde então na Praça Benedito Calixto

“Adote Um Livro” é uma ação cultural de um coletivo que doa livros novos e usados em ações nas vias públicas de bairros afastados dos centros comerciais da cidade de São Paulo.

10h às 11h - Cabaré 3 Vinténs: com sopros, cordas, pandeiro e tábua de lavar roupa, cantos de algum lugar esquecido pelo tempo. 

13h as 14h Roda de samba com Projeto Batukaí

14h as 17h - Intervenção nos tapumes - Oficina GIRAndando

14h às 15h - Repentistas Adão Fernandes e Orlando Bezerra 

18h - Sarau do Binho 

19h - Levante Mulher 



LEIA - Laboratório de Experimentação e Inovação Audiovisual
Parceria Spcine (empresa de cinema e audiovisual de São Paulo)

Das 13h/18h
Atividades realizadas simultaneamente

Arcade de games com Women Up Games
Arcade artesanal feito com arduíno, as atividades ficam por conta da Women Up Games, startup com foco em inserir as mulheres no universo gamers e ganhadora do Premio Mulher Tech Sampa.

Realidade Virtual com o Era Transmídia
A associação Era Transmídia traz para o público sua pesquisa com o universo de realidade virtual disponibilizando para experimentação os óculos "VR" do Google.

VIVE
Jogo imersivo de realidade virtual 

A Travessia
Atividade transmídia do filme "A Travessia" com plataforma vibratória e óculos de realidade virtual.

Loox
O visitante poderá usar diversos modelos de seus óculos para experimentação de ambiente em realidade virtual.

16h SHOW COM FABIANA COZZA E TIÃO CARVALHO no CAMPO/GRAMADO

______________________________________

DOMINGO, DIA 1º DE MAIO

Campo Gramado
16h às 17h – Show com Alceu Valença 

Praça da Cultura:
8h às 17h - Feira de Arte e Artesanato, exposições e instalações artísticas 

10h as 14h - Intervenção nos tapumes - Oficina GIRAndando


Churrasqueira / Gramado:
Exposição sobre o Butantã


LEIA - Laboratório de Experimentação e Inovação Audiovisual
Parceria Spcine (empresa de cinema e audiovisual de São Paulo)

Das 9h às 18h
Atividades realizadas simultaneamente

Arcade de games com Women Up Games
Arcade artesanal feito com arduíno, as atividades ficam por conta da Women Up Games, startup com foco em inserir as mulheres no universo gamers e ganhadora do Premio Mulher Tech Sampa.
Realidade Virtual com o Era Transmídia
A associação Era Transmídia traz para o público sua pesquisa com o universo de realidade virtual disponibilizando para experimentação os óculos "VR" do Google.

VIVE
Jogo imersivo de realidade virtual 

A Travessia
Atividade transmídia do filme "A Travessia" com plataforma vibratória e óculos de realidade virtual.

Loox
O visitante poderá usar diversos modelos de seus óculos para experimentação de ambiente em realidade virtual.

domingo, 29 de novembro de 2015

Locais de votação para o Conselho Participativo


As eleições para o Conselho Participativo Municipal acontecem em 06/12/2015 em toda a cidade.

A próxima composição de cada um dos 32 conselhos de todas as subprefeituras da cidade exercerá as atividades de representação da população durante os anos de 2016 e 2017.

Participe votando nos candidatos do Butantã.

Atenção para os locais de votação:

Butantã:


Toda a cidade: